Anunciante

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Orbis Hall

O Orbis Hall é um espaço construído dentro do Kobe Fashion Plaza, para abrigar eventos de todos os tipos, desde concertos musicais, shows, palestras, cinema, show de moda, teatro, festas e exposições. O prédio abriga uma grande variedade de eventos além de ser fonte de informação e mídia para a comunidade. O tema para o projeto arquitetônico era a moda. Assim como a moda vai e volta no tempo, a arquitetura do complexo procura expressar a passagem do tempo, com a criação de um nível mais baixo com a aparência de antigas ruínas, acima das quais um moderno edifício foi construído. Uma escada em espiral representa a periodicidade da moda e a seção em cruz atravessando uma passagem repetitiva passa a idéia da moda sendo influenciada pelo movimento de pessoas. O conceito de passagem do tempo pelo passado presente e futuro é simbolizado também na forma arquitetônica de um disco voador, como uma nave espacial voando pelo tempo e espaço. Ainda, a infinita repetição da moda é expressa pelo layout da planta, compondo o símbolo do infinito ( ∞ ). A forma circular sempre fascinou arquitetos desde a antiguidade, porém esse formato causa muitos problemas acústicos como focalização sonora, ecos e o efeito de galeria acústica. O objetivo do projeto de condicionamento acústico era a correção dos problemas acústicos devido à forma circular, sem interferir nas intenções e conceitos arquitetônicos do hall. Dessa forma, os profissionais que trabalharam no projeto acústico tiveram cuidado em considerar tanto os fatores temporais, quanto os espaciais, pois o ser humano percebe os sons utilizando os dois lados do cérebro: o lado esquerdo para o entendimento temporal e o lado direito para a percepção espacial. Para que o espaço permitisse essa grande diversidade de usos, foi elaborado um sistema de piso móvel, com todos os assentos removíveis. Existem dois tipos de assentos: um pode ser estocado no espaço abaixo do piso e o outro tipo possui rodinhas, podendo ser movido até o depósito, o que proporciona cinco diferentes modelos de layouts. 
Para eliminar o efeito de galeria acústica, provocado pelo formato circular, em que o som caminha pelas paredes, uma solução criativa foi empregada: uma sala para crianças pequenas e suas mães, medindo 3,0x4,20m foi feita bem de frente ao palco, interrompendo a continuidade da forma circular do ambiente. O teto abobadado exigiu a preocupação com a focalização sonora. Painéis difusores de diversos tamanhos foram instalados para desfazer a focalização do som. Um grande painel de 9m, e raio 26m, foi instalado na área central. Próximo ao centro, foram instalados diversos painéis menores, com 0,9 m, 1,275 m e 1,5 m de diâmetro, assimetricamente. Os difusores menores foram posicionados no centro do teto para obter reflexões das altas freqüências, por causa da direção apropriada dos refletores para os ouvintes. Os painéis grandes são eficazes para as baixas freqüências, proporcionando grandes ângulos de reflexão para a platéia. O painel difusor maior foi posicionado logo acima do palco, fora do centro do domo do teto. Todo o equipamento de produção e iluminação pode ser pendurado nele. Além de atuar como painéis difusores sonoros, esses elementos também funcionam como luminárias, compondo uma arquitetura de interiores ímpar.  A platéia, além de adentrar a “nave espacial”, se vê envolvida por luzes radiantes dos “óvnis” no teto. Isso mostra a integração entre os projetos de arquitetura e de acústica, onde elementos do condicionamento acústico contribuem para uma boa arquitetura e os elementos arquitetônicos são criados de forma a melhorar o condicionamento acústico.


Fonte: TAKATSU, A. SAKAI, H. ANDO, Y. Blending Architectural and Acoustical Factors in Designing a Round Event Hall. Journal of Sound and Vibration (2002) 258(3), 499–515